Obs: Posts baseados na minha história de vida. Qualquer sintoma atípico na gravidez procure sempre seu Ginecologista.

20 de set de 2014

Genética e Colestase

Como sabemos pelas pesquisas, algumas teorias sugerem que a Colestase pode ter causas genéticas e recebo inúmeras histórias de mamães Colestáticas, mas poucas com relato de colestase mostrando esse fator, e uma dessas histórias é a da Mariana de 36 anos-SP, que descobriu para seu espanto que sua mãe também teve colestase, reforçando porém ainda mais essa teoria.
Pedi para Mari escrever um pouco da sua história para o blog, vamos conhecê-la:

Descobri que estava grávida com 35. Tive uma gravidez super difícil, com mioma grande e dolorido, descobrimos muito cedo que nosso bebê tinha apenas um rim, nenhum motivo para se preocupar até então. Só que para piorar nas 32 semanas descobri a colestase. No começo era apenas uma coceira insuportável, fiz os exames de sangue para ver como estava a bilirrubina e descobrimos. Mudei de médica com 34 semanas, porque eu tinha muito desejo de ter o parto normal. A médica nova, Dra Betina Bittar me acompanhou bem de perto e me disse que por conta da colestase eu teria que parir até as 38 semanas, não seria bom passar disso pois poderia afetar o bebê. Então eu e minha coceira, eu e minha parceira escova de cabelo seguimos em frente até as 36 semanas. Com muito banho na madrugada pois era a única maneira de me aliviar e com a escova de cabelo para me coçar nos outros momentos. Dormir era só quando estava realmente exausta. E sim, acordava para me coçar. pés e mãos doíam muito de tanto coçar. Chegamos nas 36 semanas e Dra Betina resolveu tentar a indução por meio da acupuntura, se não funcionasse, iriamos para as outras duas maneiras de induzir: os comprimidos e depois, a ocitocina. A partir das 35 semanas fazíamos exames como cardiotoco regularmente, cada 3 dias, para ver como estava o bebê. Graças a Deus ele estava sempre bem, com pouca alteração nos batimentos.Pois bem, com 36+2 comecei a ter contrações bem doloridas, fizemos outra sessão e aí sim, comecei a ter contrações bem fortes e por momentos ritmadas. Com 36+6 entrei em trabalho de parto e pari 24 horas depois no labor do São Luís. A coceira parou imediatamente após o parto. 
Depois de uns meses recebi a visita da minha tia, irmã mais nova da minha falecida mãe (minha mãe morreu por conseqüência de uma hepatite quando eu tinha 8 anos), e para meu espanto minha tia relatou que minha mãe durante a gravidez também tinha coceiras, usava uma escola de cabelo para se coçar! Imaginem o que passou pela minha cabeça? Minha mãe teve Colestase e não sabia! E ela teve nas duas gestações. Nascemos ambos prematuros, eu e meu irmão de parto normal, mal deu tempo de chegar ao hospital...conta meu pai que eu mesma nasci saindo do elevador. Me espantei e conversei com a mãe lá no céu, mãe, entendo exatamente o que tudo o que você passou!

15 de jun de 2014

A chegada de Theo

A colestase por ser uma doença de etiologia heterogênea (multifatorial) com contribuição de fatores genéticos e hormonais, me preocupou um pouco quando minha irmã agora com 38 semanas, engravidou.
Uma das primeiras coisas que ela informou a GO dela é o fato de eu ter tido colestase, pois por ter contribuição genética, é importante fazer os exames hepáticos.

Mas Graças a Deus tudo deu normal. Meu sobrinho e Afilhado Theo chegará em breve.

Recadinhos

Futuras Mamães, leio cada recadinho que vcs deixam para mim aqui no quadro ao lado, Fico muito feliz, por as vezes conseguir ajudar a diagnosticar a Colestase, tendo em vista que muitos médicos tem dificuldade em diagnosticar a doença, por ela ser rara.
Sempre me mandem tb um e mail, pois não consigo responder de forma mais ampla no quadro de recado por não permitir muitos caracteres.

Estou sempre a disposição de vcs.

Grande Beijo

Camila

10 de mai de 2014

FELIZ DIA DAS MÃES








        FELIZ DIA DAS MÃES.

4 de mai de 2014

Saiu no Cantinho da Ana Hickmann

Olá Meninas,

A Ana Hickmann depois que ficou grávida, fez um site sobre gestantes no R7, se chama Cantinho da Ana patrocinado pela Bepantol.

Essa semana saiu sobre a Colestase. Quase uma chamada, não uma matéria como a doença merecia, mas já é um começo.

Dê uma olhadinha:

Coceira Rara na Gravidez

Grande Beijo

18 de fev de 2014

Segunda Gestação da Tati

Meninas, acompanhamos aqui no blog ansiosas a segunda gestação da Tati.

E Graças a Deus deu tudo certo, a Tatiana teve colestase na primeira gestação, e resolveu engravidar novamente, no final da gravidez as taxas deram um pouco alteradas mas a doença não se manifestou, a Luisa nasceu dia 13 de fevereiro com 35 semanas pesando 2.580kg, mas, nasceu antes por conta da baixa do líquido amniotico.


Estamos muito felizes pela Tati, e seja bem vinda Luisa:


E nunca se esqueça, que cada caso é um caso.
 
Copyright 2010 Layout da Sumello All rights reserved.